Oposição confirma participação de forasteiros no movimento dos Educadores



A manifestação de protesto da última terça-feira, em frente ao prédio da Câmara Municipal, contou com a presença de militante do PSTU de Recife, conforme o jornal O Diário antecipou ontem na coluna Direto do Plenário. Segundo informações passadas ao jornal, a oposição estaria trazendo militantes de fora para coordenar os atos. Entre eles, um cidadão cujo nome seria Bruno Otoni, membro do partido da esquerda radical e militante da Central Sindical Popular/Conlutas, na capital pernambucana, um dos organizadores do movimento em Campos.

Bruno teria sido designado pelo PSTU para permanecer em Campos na organização do movimento. Ele aparece nas fotos de camisa vermelha. Durante as manifestações o militante fica quase o tempo inteiro ao telefone, como se recebesse orientações de alguém que eram repassadas a outros militantes. Além do PSTU, bandeiras do PCB também foram vistas na manifestação. 

Nesta quarta-feira, o líder do governo na Câmara Municipal, vereador Paulo Hirano (PR), esteve no programa Debate Diário, na Rádio Diário FM, onde também afirmou ter identificado agitadores forasteiros que participaram do agrupamento com a finalidade de repetir as mesmas cenas que tem ocorrido no Rio e em São Paulo. No entanto, não citou nomes. "As observações que fizemos e logo depois constatamos é que pessoas de fora do município estiveram infiltradas no movimento. Então, nós buscamos alertar as pessoas que tivessem cautela e não se deixassem levar por forasteiros radicais que vêm para cá a fim de provocar tumulto e desvirtuar o movimento. Não iremos permitir que seja aqui implantado um modelo de enfrentamento que se assemelhe ao que ocorre no Rio e São Paulo", declarou.

Paulo Hirano disse ainda ter evidências de que o movimento tem caráter político-partidário. "Como líder do governo estamos a abertos ao diálogo. Ao invés do confronto, vamos para a negociação. Mas cabe a essas pessoas definir que rumo esse movimento quer tomar e saber discernir o que está por trás da manifestação, evitando essa contaminação da interferência dessas figuras estranhas", disse o líder do governo na Câmara, vereador Paulo Hirano (PR).

PSTU nega a tutela do movimento

O coordenador do PSTU/Campos, Gustavo Siqueira, negou que o partido tenha se colocado à frente das manifestações. "De maneira nenhuma o PSTU tem qualquer tipo de tutela sobre o movimento. Temos militantes da categoria que participam deles". Entretanto, ele afirmou que "a Conlutas, majoritariamente comandada pelo PSTU, é a principal organizadora do movimento".

Gustavo contou ainda que Bruno está morando em Campos desde o início do ano. "Bruno é apenas uma referência. É estranha esta cobrança sistemática. Só porque ele vem de fora não pode liderar um movimento? Ele é militante e tem ajudado", defendeu. Bruno Otoni assina como militante do PSTU, junto com Micheli Borowski, um artigo publicado no site do partido com o título "Em Campos/RJ a educação não é um mar de 'Rosas'!".

Fonte: O Diário

Sem comentários:

Enviar um comentário