"Gente que faz cultura": ato reuniu artistas locais no Centro




"Para conhecer a cultura é preciso ir ao encontro dela". A frase do músico Sérgio Alvarenga, mais conhecido no cenário artístico como "Serjão", resume o que pensam os artistas de Campos sobre o discurso feito por vereadores da oposição, denunciando que "a cidade não promove cultura". 

Para provar o contrário, a classe realizou um grande movimento, denominado "Gente que faz cultura", e reuniu cerca de 150 artistas dos mais diversos segmentos, no Centro, na última quarta-feira (16). O coordenador do evento, Marciano da Hora, adiantou que o próximo ato já está sendo organizado.

Ele revelou que durante o movimento, na quarta-feira, foi elaborado um manifesto de repúdio, que será entregue aos representantes do Legislativo em reunião plenária. - Estamos muito indignados com tudo o que vem sendo dito por determinados vereadores. Levamos o movimento à rua para mostrar quem somos, nosso potencial e a importância da participação de cada artista no enriquecimento de nossa cultura. Diante do que todos viram, apresentações dos mais diversos segmentos, do choro à capoeira, é impossível não discordar das atrocidades que foram ditas por estes vereadores - defendeu Marciano.

O coordenador ainda adiantou que durante a entrega do manifesto, os vereadores oposicionistas serão convidados a participar ativamente do movimento cultural da cidade. - Todas estas pessoas que dizem que Campos não tem cultura deveriam estar lá para assistir às apresentações na quarta-feira. Mas, não faltarão oportunidades. Eles serão convidados para participar do nosso movimento cultural e, caso aceitem, mudarão de opinião. É preciso conhecer para, então, criticar - desabafou o coordenador do ato. 

Um comitê permanente para discutir a temática cultural 

O coordenador do "Gente que faz cultura" citou algumas das manifestações culturais mais tradicionais de Campos. Uma delas, a Banda Carmem Miranda, que participa há 22 anos do carnaval na cidade, já ganhou destaque em todo o estado. O Boi Capeta tem 44 anos de história, arrasta os foliões do Campo do Goytacaz à Praça São Salvador. O Campos Folia, carnaval fora de época, que neste ano acontecerá entre os dias 25 e 27 deste mês, também foi citado plos participantes.

O primeiro "Gente que faz cultura" foi realizado pelas instituições como a Associação dos Bois Pintadinhos de Campos (Aboipic), a Liga Independente das Entidades de Samba (Liescam) entre outras. Na oportunidade foi criado um Comitê Permanente em defesa das manifestações culturais de Campos.

Participaram do evento na última quarta-feira, representantes das manifestações tradicionais da cidade como: o Boi Capeta, Banda Carmem Miranda, festas pré-carnavalescas.   Além da participação da Companhia de Dança de Campos de Campos dos Goytacazes, Orquestra Municipal, grupos de capoeira, a quadrilha tradicional Coisa Roxa entre outros artistas locais, entre elas a maior jongueira do Estado do Rio de Janeiro, Dona Antônia. Grupos de dança de rua, Curso Livre de Teatro e a bateria da escola de samba Mocidade Louca, acompanhada de vários interpretes de agremiações carnavalescas.

Fonte: O Diário

Sem comentários:

Enviar um comentário