Marcos Soares: “Envolvidos na Telhado de Vidro são os mesmos que hoje atacam Rosinha”



O ex-presidente da Fundação Municipal Trianon, o empresário Marcos Soares, que, após a Operação Telhado de Vidro, da Polícia Federal, foi o responsável pelo levantamento de todo o esquema montado para superfaturamento de shows, e, sobretudo, dos valores pagos por shows não realizados na administração Mocaiber, quebra o silêncio e fala sobre o maior escândalo da história do município envolvendo superfaturamento na prefeitura. Com a espontaneidade que o caracteriza, ele acusa pessoas que se beneficiaram de ações criminosas na área de cultura durante o governo Mocaiber de fazer críticas atualmente ao governo Rosinha, com o propósito de tirar proveito político.


Num momento em que algumas críticas são feitas em relação a shows e a área de cultura, o ex-presidente do Trianon fala ao Campos 24 Horas e usa uma frase muita conhecida para identificar alguns críticos de hoje, que ocuparam cargos na área de cultura do governo Mocaiber: “São os mesmos”, disse o ex-presidente do Trianon, que acrescentou.” Eles não estão nem aí para a área de cultura. Conheço a ganância e o apetite dessa gente pelo dinheiro. Querem mídia para voltar ao poder”.

Exibindo cópias de um levantamento que até hoje escandaliza a quem verifica os valores pagos a época por dezenas de shows superfaturados, e muitos não realizados, ele acusa um grupo de pessoas envolvidas na Operação Telhado de Vidro de atuar hoje contra os interesses do município, com o único objetivo de atacar o governo da prefeita Rosinha Garotinho.

“Assumi o Trianon num momento crítico e prometi que não deixaria de combater ações criminosas ou ilícitas que estavam promovendo com o dinheiro público naquela época. Após levantar tudo e ter dados de como era feito o esquema de superfaturamento de shows e entregar a autoridades que cuidavam do caso, não posso ouvir calado a campanha daqueles que, por proveito político, querem falar atualmente sobre shows. Eles não têm moral para fazer críticas ao governo Rosinha. Para vencer a eleição em 2008, a campanha de Rosinha foi feita com suor e lágrimas. Estive na campanha e sei o quanto foi difícil. Havia muita gente comprometida com ações ilícitas e que não queria ver a vitória de Rosinha ”, disparou Marcos Soares.

Marcos Soares Marcos Soares salienta que, na ocasião em que esteve à frente do Trianon, os jornais e outros veículos não o procuraram para se informar sobre os valores pagos por shows superfaturados e outros não realizados.

“Na época, boa parte da mídia não me dava espaço para falar sobre um verdadeiro escândalo. Os que me procuravam, queriam saber quando o prefeito Mocaiber voltaria. Estranho, não?

Hoje, vejo gente fazendo comentários diários sobre shows. Na mídia, atualmente, e até atuando em alguns órgãos de comunicação e integrando partidos políticos, estão vários dos que levaram o ex-prefeito Mocaiber ao fracasso administrativo. Um grupo de pessoas que passaram pelos poderes Executivo e Legislativo, sobretudo na Fundação Cultural Oswaldo Lima e no Trianon, e deram o aval naquela época para que fosse montado o maior esquema de superfaturamento de shows. Esse mesmo grupo quer encarnar hoje o bom moço. Vários deles vivem na mídia fazendo críticas, ma se esquecem daquela frase: -o seu passado te condena, afirmou Marcos Soares

Nota da redação:
A entrevista foi feita na noite de ontem e algumas afirmações foram de ordem gravíssima, com citação de nomes, razão porque o Campos 24 Horas vai divulgar estes trechos somente nesta quinta-feira, dia 1º, na Parte II, após análise.

Além de citar nomes, podemos adiantar que Marcos Soares fala sobre as enormes dificuldades de Alexandre Mocaiber para administrar o insaciável apetite de algumas pessoas da área de cultura pelo poder e pelo dinheiro e a ganância por vantagens de uma base aliada na Câmara tão ampla quanto infiel.

*Reprodução do Campos 24 horas (AQUI)

Sem comentários:

Enviar um comentário